sexta-feira, dezembro 08, 2006

Lisboa objecto de fraude em notícia sobre sondagem


Uma notícia (sobre uma sondagem) que é simplesmente uma burrice chapada

Será que a notícia está mal redigida? Ou a SIC me enganou no seu site ou isto é uma burrice de todo o tamanho. E tão burro é quem a escreveu como quem a engoliu e autorizou que fosse para o ar, lá na redacção da SIC (espero que a RR e o ‘Expresso’ de amanhã não sejam tão boçais.
Vou dizer assim, para ser educado: quem é que encomendou este sermão a este senhor Rui Oliveira Costa? Quem? Não estou a falar da SIC e da RR e do ‘Expresso’, que pagaram a massa para realizar a sondagem. Estou a pensar é a quem pode convir uma conclusão falsa destas a partir de números que descaradamente até são ali expostos… E não há quem desmonte a coisa? E os editores não vêem a fraude?

A maioria? 60%? Mas se está mesmo ali que são 18%... os tipos não sabem ler o que eles mesmos escrevem?

Vamos por partes e organizar o raciocínio a partir dos números. Que constam da sondagem ela mesma. É assim:
Foram inquiridas um pouco mais de mil pessoas.
A questão respeita a Lisboa. Quem foi auscultado? Só 26% são lisboetas. Os restantes estão espalhados pelo país (Norte - 20,4%; A.M. do Porto - 14,4%; Centro - 29,2%; A.M. de Lisboa - 26,2%; Sul - 9,8%).
Agora o pior: desses mil, quantos querem o quê? 1º- 29% querem uma nova coligação que garanta nova maioria absoluta; 2º - 27% acham que deve manter-se a governação da Cidade em maioria relativa; 24% querem mas é eleições antecipadas. Mas a SIC (seguindo a Eurosondagem?) conclui a seguir algo verdadeiramente estranho.
Vamos por partes: o elemento seguinte das conclusões da sondagem vai no sentido seguinte: dos que acham que deve haver nova maioria (que são 29%), 60% entende que essa maioria deve ser obtida por acordo PSD-PS. Ora 60% de 29% serão mais ou menos 18%. Titula a SIC: «A maioria dos portugueses quer acordo PSD-PS», mais ou menos isto. Uma calinada de todo o tamanho. «A maioria dos portugueses» teria de ser algo para lá dos 50% nos números da sondagem. Mas não é: é 18% dos tais 1000 que são o universo da sondagem, sendo que desses mil só 260 (26%) são da Área Metropolitana de Lisboa – e talvez só uns 100 ou 150 sejam da Cidade de Lisboa, o que daria para os tais 18%, um total de 18 ou, na melhor das hipóteses, 27 pessoas que realmente se devem ter pronunciado a favor dessa barbaridade que o próprio PS, e bem, já rejeitou liminarmente – mas nem é a questão política que agora me está a enjoar: é a fraude em cima de números que aí ficam à vista – e portanto estão a chamar-me burro e eu a ver, e não têm respeito por mim, nem têm vergonha na cara. Ou então nem dão por ela – e então só tenho mesmo a dizer uma coisa: são burros que nem portas…
Mas por que raio será que os jornalistas que escrevem estas bacoradas não dão atenção (só um bocadinho) ao que fazem? Se um motorista profissional conduzisse assim, não estaria já despedido?
Que chatice de país que tais coisas tem de aturar!

José Carlos Mendes

1 Comments:

At 9:04 da manhã, Blogger biclaranja said...

Ah! Ah! Ah!

Cumpts.

 

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer